top of page

Compulsão alimentar: 7 estratégias para combatê-la



Quem nunca exagerou na quantidade de comida ou não continuou comendo mesmo que não estivesse com fome? Às vezes, esses comportamentos podem se tornar parte da vida cotidiana sem prejudicar a saúde, e podem ser confundidos erroneamente com excessos.


No entanto, a bulimia é diferente: nesta condição, as pessoas ingerem grandes quantidades de alimentos de forma impulsiva e rápida em um curto período de tempo, e depois se sentem culpadas e tristes com a situação. Esse problema de saúde geralmente surge como forma de lidar com os efeitos negativos, e é muito comum que a pessoa não consiga se controlar.


Além de comer demais, os compulsivos comem mais rápido do que o normal, geralmente evitam comer na frente de outras pessoas e sentem muita vergonha após a compulsão alimentar.


O compulsivo continua a comer de maneira descontrolada, mesmo quando está cheio. Alguns até escondem ou armazenam secretamente alimentos para consumo posterior.


Quando ocorre a compulsão alimentar?


A compulsão alimentar ocorre por diversos fatores, mas é mais comum entre aqueles que são obcecados com a imagem corporal, que passaram por momentos de estresse ou têm algum trauma emocional e baixa autoestima.


Para ser diagnosticado com compulsão alimentar, uma pessoa deve ter tido pelo menos um episódio por semana nos últimos três meses.


Lembre-se de que comer demais com frequência pode levar ao ganho de peso. A obesidade aumenta as chances de desenvolver doenças como diabetes e doenças cardíacas. Além disso, os comedores compulsivos podem ter problemas de sono, infertilidade e dificuldade em interagir com os outros.


A compulsão alimentar geralmente ocorre no final da adolescência ou na idade adulta, e a maioria das pessoas não consegue superar esse problema de saúde sem ajuda. O primeiro passo para lidar com esse transtorno é procurar aconselhamento especializado.


Como lidar com a compulsão alimentar?


Algumas estratégias são recomendadas para controlar o impulso de comer exageradamente. Veja detalhes a seguir:


1. Não faça dietas restritivas


Ficar sem comer por muito tempo ou reduzir drasticamente a quantidade de comida não é uma solução para controlar os excessos. Por outro lado, seguir modismos e dietas restritivas pode aumentar os episódios de compulsão alimentar.


Isso ocorre porque a exclusão de certos grupos de alimentos, como carboidratos e proteínas, pode levar a desequilíbrios alimentares e aumento da fome sem efeitos duradouros. Sabe-se que em uma dieta muito rigorosa, o cérebro entra em estado de alerta e aumenta a fome para se proteger.


Uma pesquisa realizada pela Universidade de Toronto (Canadá) mostrou que mulheres que se privaram de alguns alimentos tinham mais desejos de consumi-los e maior risco de comer em excesso.


2. Não pule refeições


As pessoas que comem compulsivamente precisam decidir quando comer. Pular refeições aumenta o risco de comer demais. Portanto, é importante comer três refeições principais – café da manhã, almoço e jantar, e lanches entre elas. Um estudo mostrou que aderir a uma dieta regular estava associado a uma redução na frequência de excessos.


3. Tome bastante água


É muito importante consumir bastante água para se manter hidratado. Para quem tem compulsão alimentar, essa é uma forma de identificar se a pessoa está com muita fome ou com vontade de comer alguma coisa. Beber mais água também é uma estratégia para aliviar a sensação de vazio que as pessoas podem sentir.


4. Coma mais fibras


Comer alimentos ricos em fibras é outra possibilidade de reduzir os sintomas de compulsão alimentar.


Aumentar a ingestão de fibras é uma forma de aumentar a saciedade e reduzir os desejos, a fome e a quantidade de alimentos consumidos. No entanto, essas fibras devem ser ingeridas no início das refeições, juntamente com uma quantidade suficiente de água para hidratá-las.


Recomenda-se comer mais frutas, legumes e grãos integrais, que são fontes de fibra.


5. Evite comer junk foods


Para não cair em tentação, é importante evitar comprar alimentos com baixo teor de nutrientes e que contenham muitas calorias, gorduras, açúcar e sódio. O conselho é manter alimentos saudáveis por perto ​​para reduzir o risco de ter um episódio de compulsão alimentar.


Entre os alimentos que podem ser considerados junk foods estão: batata frita, salgadinhos industrializados, doces refinados e bolachas recheadas.


6. Pratique atividade física


Incorporar a atividade física em sua rotina diária pode ajudar a controlar os excessos e até mesmo a perder peso. A atividade física regular proporciona uma sensação de prazer e bem-estar que as pessoas com compulsão podem encontrar na alimentação.


O ideal é encontrar uma forma prazerosa de atividade física que seja feita com moderação e frequência. Uma pesquisa da Universidade de Pittsburgh (EUA) com mulheres obesas com transtorno alimentar mostrou que o exercício pode reduzir os problemas em 81%.


7. Durma bem


Algumas horas de sono podem causar diversas alterações hormonais no organismo que podem levar ao aumento da fome e diminuição da saciedade.


O gerenciamento do sono pode melhorar a ansiedade noturna e reduzir os sintomas de compulsão alimentar. Além disso, em muitos casos, as pessoas com compulsão alimentar utilizam o tempo de insônia para consumir grandes quantidades de alimentos, agravando muito a situação.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page