top of page
  • LM

Conheça as 5 emoções universais



Vivemos com nossas emoções o tempo todo. Eles fazem parte de quem somos e fazem parte do nosso dia a dia. Antes de prosseguirmos neste tópico, é importante esclarecer que sentimentos e emoções são coisas diferentes. É muito comum as pessoas pensarem em sinônimos, mas na verdade não são.


Basicamente, as emoções são um conjunto de respostas químicas e neurais no cérebro quando ele é estimulado pelo ambiente. A sensação, por outro lado, é uma resposta a uma emoção, ou seja, trata-se de como uma pessoa se sente quando confrontada com aquela emoção. Assim, embora humores e sentimentos sejam muito diferentes, eles estão intimamente relacionados.


Para ter um pouco mais de clareza, entenda que quando você está em determinada situação, seu cérebro libera hormônios que alteram seu estado emocional. Algumas reações físicas podem até ocorrer, como choro ou riso. Vale ressaltar que cada um terá emoções diferentes diante de uma coisa, e elas costumam ser passageiras.


Por outro lado, as emoções negativas podem levar a doenças como depressão e amor, que também podem ser resistidas por muitos anos. Alguns exemplos de sentimentos são ódio, simpatia, amor, decepção e ciúme.


Quais são os tipos de emoções existentes?


Abaixo, vamos focar na categorização das emoções:

  • Primárias: são aquelas facilmente perceptíveis pelas pessoas, como o medo e a alegria.

  • Secundárias: não são tão fáceis de notar, como por exemplo, o nervosismo, a culpa ou a vergonha.

  • De fundo: são as não perceptíveis, como a calma ou fadiga. Elas são difíceis de serem percebidas por que estão mais relacionadas ao mundo interno do indivíduo do que ao externo.

5 emoções universais


As situações que vivemos todos os dias despertam diferentes emoções em nós. Você sabia que existem 5 emoções que são consideradas universais? Eles são medo, tristeza, alegria, raiva e nojo.


Lembra do filme "Divertida Mente"? isso mesmo. A animação apresenta nossas emoções de forma bem leve e didática. Se você ainda não viu, sugerimos que reserve um momento para conferir o filme.


1. Medo


O medo é um mecanismo de proteção que nos mantém vivos. Sem essa emoção, nos colocamos em situações perigosas sem pensar duas vezes nos possíveis riscos. O medo, por sua vez, impede que isso aconteça porque é uma resposta inconsciente e natural.


Sabe quando você vê aquela cobra gigante ou percebe que está prestes a sofrer um assalto à mão armada? Essas são algumas das condições que fazem com que o cérebro seja ativado involuntariamente, liberando substâncias que acionam o coração, dificultando a respiração etc.


Nessas situações, você está em perigo e sabe que pode morrer se não fizer algo, então o medo entra em ação. Por exemplo, ele vai te manter longe das cobras e tentar escapar dos atacantes. Sempre que você sente medo, o medo faz você reagir de uma certa maneira.


2. Raiva


A raiva excessiva e persistente pode causar muitos danos à sua vida, mas você sabia que essa emoção também pode atuar como um mecanismo de proteção? Sentimentos de injustiça geram raiva para que possamos agir em prol daquilo em que acreditamos.


Portanto, a raiva moderada e controlada pode ajudá-lo a entender os problemas da sua vida e a sua motivação para buscar possíveis soluções. Além disso, liberar a raiva ajuda a liberar o estresse acumulado.


No entanto, é importante manter a raiva incontrolável sob controle. Isso porque essa emoção interfere diretamente em quem está ao nosso redor. Trânsito caótico, reuniões, filas e outros tipos de frustração podem criar uma enorme raiva interior. No entanto, é um erro deixar-se consumir por essa emoção e descontar nas pessoas ao seu redor.


Claro, momentos estressantes fazem parte da vida cotidiana, e a raiva pode vir depois. Para não ficar refém de suas emoções, esforce-se para aprender a administrar sua raiva de maneira saudável, para que ela não afete negativamente seu dia a dia e seus relacionamentos.


3. Alegria


A emoção mais positiva é a alegria, que está diretamente relacionada à felicidade. Por exemplo, quando você atinge um determinado objetivo pessoal ou profissional, é essa emoção que toma conta de você. A alegria é uma das maneiras pelas quais o corpo estimula a ação e atua como uma recompensa.


Imagine que você está em busca de uma promoção, tem uma carga de trabalho pesada e compete com outros funcionários por um aumento? O que motiva você? Sabendo que se você atingir esse objetivo, você se beneficiará de uma alegria intensa, certo? Se não conseguir, pode ser dominado pela tristeza por um tempo, que é um sentimento que não gostamos.


A recompensa é certamente alegre e, quando a alcançamos, queremos experimentar novamente aquela sensação alegre (ou seja: estamos motivados!). É importante lembrar que não dá para ser feliz o tempo todo, então é preciso estar preparado para lidar com as dificuldades e contratempos. A tristeza constitui nossas emoções porque é importante para fortalecer e amadurecer quem somos.


4. Nojo


O nojo produz uma aversão ou a necessidade de rejeitar algo, resultando em um desprazer acentuado. Um exemplo clássico é a criança que franze a testa e sente nojo de verduras e legumes – uma resposta aversiva diante da oportunidade (real ou imaginária) de ingerir uma substância nociva. Como efeitos fisiológicos mais comuns podemos citar náuseas e desconforto gastrointestinal.


A principal função da aversão é evitar qualquer estímulo que possa levar à intoxicação. O nojo está associado a mais traços sociais do que problemas de ingestão, por exemplo, por meio da rejeição de estímulos sociais, situações ou pessoas tóxicas.


5. Tristeza


Um estado de depressão, cansaço e solidão: é assim que costumamos definir a tristeza. Embora muitas pessoas queiram fugir disso, é preciso entender que é uma emoção perfeitamente normal e saudável.


Todos nós sentimos tristeza em vários momentos de nossas vidas, mas é importante estar ciente disso, porque se a emoção persistir por muito tempo, pode significar que o quadro pode piorar para a depressão. A dor comum e saudável deve ser passageira.


Entenda também que essa emoção tem vários níveis de intensidade, desde um estado de decepção até um estado mais intenso de angústia. Pode ser desencadeada por diversos eventos, como decepções amorosas, problemas financeiros, traumas, insatisfações profissionais/pessoais ou outros tipos de conflitos internos.


A importância da inteligência emocional


Fique tranquilo, por mais que pareça, quando falamos de emoções e sentimentos, a inteligência emocional parece ser uma forma muito eficaz de aprender a processar tudo o que sentimos. Isso porque, ao desenvolver sua inteligência emocional, você aprenderá a reconhecer suas emoções e saber lidar com elas; aprenderá a se manter motivado diante dos contratempos; e desenvolverá empatia e habilidades interpessoais.


O mais interessante é que qualquer pessoa pode desenvolver inteligência emocional. Como? Bem, existem várias maneiras! Além de oferecer uma riqueza de lições atraentes sobre o assunto, a terapia é uma ferramenta muito eficaz para desenvolver a inteligência emocional.

Isso porque, junto de um psicólogo, você irá trabalhar o autoconhecimento e as suas emoções, entendendo seus gatilhos e como lidar com tudo o que sente.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page