top of page

Terapia e Coaching: entenda as diferenças



Muitas pessoas confundem terapia e coaching, não sabendo distinguir um processo do outro. Afinal eles possuem dinâmicas semelhantes. Ambas as experiências são sobre o momento em que o paciente/cliente se senta ao lado de um profissional e conta sua trajetória. No entanto, eles não são a mesma coisa e, neste artigo, ajudaremos você a entender a diferença entre terapia e aconselhamento.


É importante estar ciente dessas diferenças para que você possa entender quando deve escolher um processo ou outro. Além disso, não há nada que o impeça de fazer terapia e coaching ao mesmo tempo para abordar diferentes questões.


Antes de ressaltarmos as diferenças entre a terapia e o coaching, vamos compreender o conceito de cada um desses serviços?


O que é coaching?

O coaching é uma ferramenta projetada para ajudar as pessoas a alcançar objetivos específicos, sejam eles pessoais ou profissionais. Não se trata de diagnosticar e resolver problemas para o indivíduo, trata-se de ajudá-lo a sair de um lugar e chegar a outro e alcançar seus objetivos.


Então o foco é o agora e o futuro, e o coach (como é chamado o profissional especializado em coaching) tem como responsabilidade ajudar seus clientes a identificar seus objetivos e trabalhar em direção a eles, identificando barreiras e recursos existentes. Portanto, devem ser criadas métricas para que os resultados do coaching possam ser medidos e analisados ​​ao final do processo.


Uma pessoa pode buscar orientação em diversas situações ao longo da vida, como: melhorar o desempenho profissional, desenvolver competências e habilidades e crescimento pessoal.


Outro ponto importante a se entender é que qualquer profissional pode se tornar coach, existem diversos cursos de capacitação na área, então não tenha medo se conhecer um advogado que também seja coach. Isso é normal e qualquer um pode aprender a trabalhar neste mercado.


O que é terapia?


A terapia, por sua vez, é conduzida por um profissional formado em Psicologia e, para exercício da profissão, ele precisa estar inscrito no Conselho Regional de Psicologia (CRP).


Para começar a falar sobre terapia, é importante enfatizar que ela não é apenas uma ferramenta valiosa para pessoas com transtornos mentais. É muito importante nestes casos e deve ser usado para tratar condições como depressão, ansiedade, transtorno bipolar, fobias, etc.


No entanto, o tratamento também é relevante para outros transtornos e não se destina especificamente ao tratamento de transtornos psiquiátricos. A sua prática é essencial para a prevenção desta condição, bem como para o desenvolvimento de determinadas competências.


Isso porque a terapia é um processo de autoconhecimento profundo e, ao longo da sessão, o terapeuta é capaz de conduzir o paciente em uma jornada na qual ele esclarecerá vários pontos vagos em sua vida e as ramificações de alguns de seus comportamentos. Então, quando você for à terapia, também aprenderá a lidar melhor com suas emoções.


Por exemplo, existem terapeutas especializados em áreas de especialização que ajudam as pessoas a se desenvolverem para atingir determinados objetivos ou criar habilidades essenciais para um melhor desempenho no trabalho.


Compreender que, em geral, ao lidar com pacientes, é responsabilidade do terapeuta buscar esclarecimento e a razão de seus comportamentos para, assim, chegar a um diagnóstico.


Terapia x coaching: quais as principais diferenças?


Agora que você entende o que são coaching e terapia, vamos apontar as principais diferenças entre os dois processos.


Terapia


  • Caráter clínico. Um processo terapêutico que tem como objetivo reparar ou prevenir questões psiquiátricas, mas também podendo ser uma ferramenta para desenvolvimento de habilidades e competências;

  • Cura de feridas e sequelas emocionais;

  • Resgate do paciente de uma posição disfuncional – proporciona-se nível de funcionamento saudável;

  • Foco maior no passado e presente;

  • Atenção nas emoções e como o paciente se sente;

  • Imersão na cura e/ou desenvolvimento de competências e habilidades;

  • Abordagem passiva e reflexiva.

Coaching

  • Processo educacional – foco na descoberta de potencial;

  • Estímulo de autoconhecimento e desenvolvimento profissional e/ou pessoal;

  • Eleva níveis de desempenho e satisfação com a vida;

  • Foco no presente e futuro – metas e objetivos;

  • Foco em pensamentos, comportamentos e como a pessoa age/pensa;

  • Promove e incentiva o potencial da pessoa;

  • Abordagem ativa e energética.

Qual é a abordagem ideal para a minha vida?


Se mesmo depois de todas essas explicações você ainda tem dúvidas se deve fazer terapia ou aconselhamento, é importante entender que esses processos podem se complementar. Não há nada que impeça você de experimentá-los ao mesmo tempo.


Para tirar as dúvidas que ainda restam, vamos imaginar a seguinte situação: você está procurando uma promoção no trabalho e quer ajuda profissional para que isso aconteça.


Procurar terapia seria ideal se você sentir que tem problemas emocionais que precisam ser resolvidos e que podem estar atrapalhando seu sucesso. Por exemplo, você pode obter uma imagem mais precisa de como se sente inseguro devido a circunstâncias do passado que afetaram sua vida hoje. Nesse caso, você não está emocionalmente preparado para esse desafio.


Por outro lado, se você está pronto para assumir um novo papel, mas precisa de ajuda para maximizar seu potencial e desenvolver uma estratégia para alcançá-lo, um coach é definitivamente seu melhor profissional de resolução de problemas. Imagine uma situação como esta onde você não se sente emocionalmente despreparado, você só precisa de um empurrãozinho para chegar ao seu máximo.


Se este post te ajudou, então aproveite para seguir a Lapidando Mentes no Instagram!

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page