top of page

Quais são os estágios do luto?



A fase de luto é uma parte importante do processo de aceitação de uma perda. É um pouco estranho que, como humanos, tenhamos consciência da finitude de nossa existência, mas não estejamos habitualmente preparados para isso.


A perda muitas vezes atinge as pessoas com força, com lágrimas, arrependimento, desespero e depressão. São respostas normais, esperadas e necessárias para aliviar o luto causado pela morte de um ente querido. Mas eles seriam mais gentis se entendessem e aceitassem que a morte era iminente?


A verdade é que são poucos os que estão preparados para lidar com as perdas.


O processo de luto continua sendo um tabu. A maioria das pessoas prefere deixá-lo se preocupar com isso no momento exato do evento. Por existirem tantas superstições circulando no Brasil, algumas pessoas nem se atrevem a "chamar à morte" só de tocar nesse assunto!


Para esclarecer o luto, neste artigo, discutiremos as cinco etapas do processo.


O que é o luto?


O luto é um processo que começa com a perda de um ente querido. Sentimentos semelhantes podem surgir quando você perde a conexão emocional ou entra em contato com experiências às quais se acostumou, como o trabalho.


As pessoas enlutadas entram em um estado de retraimento logo após o luto e passam por uma trajetória emocional complexa. É comum durante esse período que os enlutados pareçam tristes, chorem, se recusem a sair de casa e percam o interesse em atividades que antes gostavam.


Da mesma forma, ele pode se alimentar de uma série de emoções e expressá-las de maneiras nem sempre racionais, como culpa, frustração, irritabilidade, depressão, dor, medo e desesperança.


Embora dolorosa, a experiência é necessária para ele se reconectar com o mundo exterior – trabalho, vida social, relacionamentos e projetos pessoais. Todos vivenciam essa trajetória de forma única.


Dependendo da sua personalidade, experiências de vida e capacidade de gerir emoções, a pessoa em luto pode sucumbir aos sentimentos ruins no meio do caminho ou chegar ao estágio de aceitação com naturalidade.


Qualquer que seja a situação, o resultado deve ser o mesmo: superar o luto. Mesmo que demore anos para superar a morte de um ente querido, principalmente ao conviver com essa pessoa todos os dias, é preciso superá-la.


As cinco fases do luto


A primeira pessoa a falar sobre os 5 estágios do luto foi a psiquiatra suíça-americana, Elisabeth Kübler-Ross (1926 – 2004). Em seu livro ''Sobre a Morte e o Morrer”, Elisabeth escreveu sobre os cinco estágios do luto. Ela entrevistou pacientes e familiares, buscando compreender a sua relação com a iminência da morte e a aceitação da perda.


1. Negação


Muitas vezes, a primeira reação ao saber da morte de um ente querido é a negação. O enlutado não acredita ou quer tentar acreditar na possibilidade de luto, então ele rejeita a própria realidade.


"É impossível!", ele pensa. Nesse caso, negar o fato de que ele foi projetado para protegê-lo de inconveniências pode ser psicologicamente perturbador para você. Como resultado, essa fase de luto pode levar minutos, dias ou semanas para passar.


É comum que a pessoa enlutada busque o isolamento social e o distanciamento de tudo que lembre o indivíduo que partiu neste período.


2. Raiva


Sentimentos de raiva, dor, desesperança, medo, culpa e depressão estão constantemente em exibição. Essa confusão domina a mente da pessoa enlutada, fazendo com que ela se comporte de maneira dura e desagradável. Ela reage violentamente quando alguém tenta trazê-la para a realidade e ainda não consegue aceitar a perda.


Uma pessoa enlutada pode expressar raiva por meio de atitudes autodestrutivas, como beber álcool, brigar com estranhos e destruir os pertences de outras pessoas. Porque ela está chateada, ela não entende a seriedade de suas ações.


3. Barganha


Esta fase de luto consiste em negociações. A pessoa enlutada negocia consigo mesma ou com uma entidade superior em que acredita, tentando desesperadamente aliviar sua dor. Vários pensamentos de "e se eu fizesse isso" ou "se eu fizesse X coisas, eu poderia mudar as coisas" giravam na mente da pessoa enlutada. Mesmo sabendo que esses feitos eram impossíveis, ela se conforta alimentando-a.


4. Depressão


Uma das cinco fases do luto mais intensas é a depressão. A pessoa é acometida por um grande sofrimento, o qual pode se prolongar por semanas ou meses. Ela se apega à dor causada pela partida do ente querido, usando-a como combustível para permanecer em estado depressivo.


Como resultado, as pessoas enlutadas choram, repensam suas decisões e experiências de vida, se isolam da família e dos amigos, têm uma crise de saudade e não conseguem voltar à vida normal como antes.


O luto nesta fase requer muita conversa e apoio dos entes queridos, bem como apoio psicológico.


5. Aceitação


A aceitação é o estágio final do luto, mesmo que a experiência não seja linear. É nesse momento que os enlutados compreendem sua nova realidade, que é composta pela ausência de quem partiu.


Emoções e ansiedade foram externalizadas, criando uma sensação de paz interior. Aceitar a perda não significa seguir em frente com a vida como se a pessoa amada nunca tivesse existido. Sem esquecer os bons momentos compartilhados com ela, ou enterrar lembranças calorosas em algum lugar do meu coração. A saudade ainda desperta emoções, e os entes queridos voltam para reflexão mesmo anos depois de terem partido.


Aceitar significa viver pacificamente na perda. É como lembrar daqueles que partiram, ser grato por fazer parte da sua vida, saber que é necessário continuar vivendo mesmo sem eles, e saber que a vida é limitada.


A aceitação pode ser trabalhada muito antes do luto começar.


Então abrace, beije, diga "eu te amo", se apaixone, jogue fora a vergonha e viva de acordo com seus desejos e valores.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


Post: Blog2_Post
bottom of page