top of page

Setembro Amarelo: entenda a importância dessa causa



O Setembro Amarelo é uma campanha nacional de conscientização sobre a prevenção do suicídio. Durante todo o mês, a sociedade se une para debater saúde mental e para relembrar a importância de saber reconhecer sinais de comportamento depressivo ou suicida em familiares e amigos. No Brasil, a campanha foi criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria.


O suicídio é um problema multifatorial de riscos genéticos, psicológicos, sociais e culturais, às vezes combinados com experiências de perdas e traumas. É configurado como morte intencional autoinflingida, ou seja, quando a pessoa decide tirar a própria vida. O comportamento suicida engloba, também, a intenção e tentativas de suicídio com episódios de automutilação, por exemplo.


Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é possível evitar o suicídio, sendo necessário que as nações se mobilizem para implementar políticas eficientes e promover estratégias. Por isso, a campanha envolve escolas, universidades, entidades do setor público e privado e a sociedade em geral, além de contar com todo apoio do Governo Federal.


Qual a importância do Setembro Amarelo?

A depressão e a ansiedade foram consideradas por muito tempo ''frescura” por grande parte das pessoas. Mas esse pensamento mudou à medida que a Internet facilitou o acesso à informação.


E, atualmente, há um crescente debate sobre as consequências dos transtornos psicológicos no cotidiano das pessoas com esses transtornos.


Por isso, falar sobre saúde mental também é fundamental. De acordo com a ABP, cerca de 96,8% dos suicídios estão relacionados a condições como ansiedade e depressão, bem como transtorno bipolar e outras condições menos conhecidas.


Portanto, a importância do Setembro Amarelo se deve justamente a esse movimento, e os problemas relacionados à saúde mental estão em alta. Assim, rompe-se o estigma associado às pessoas ansiosas e deprimidas.


Devido à importância do movimento Setembro Amarelo nos últimos anos, ficou comum acompanharmos durante este mês na TV e em mídias sociais diversas pessoas falando mais abertamente sobre o bem-estar mental. Algo que é muito positivo para toda sociedade.


A importância do Setembro Amarelo se dá também porque mostra os fatores de risco e sinais de alerta relacionados a transtornos de saúde mental!


Como identificar os sinais de alerta?


Segundo a Organização Mundial da Saúde, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos. Em todo o mundo, alguém comete suicídio a cada 40 segundos.


Isso significa que em um ano, mais de 800.000 pessoas perderam suas vidas dessa maneira. Para ajudar a prevenir o suicídio, precisamos saber reconhecer os sinais de alerta que uma pessoa está dando.


As pessoas que passam por uma crise suicida podem admitir que se sentem sem esperança, culpadas, improdutivas, descuidadas com a aparência, falta de apetite e isoladas da família e dos amigos. Além disso, há comentários que são considerados suicidas e podem ser expressos por escrito, oralmente ou pictoricamente. Confira:


• "Vou desaparecer”

• “Vou deixar vocês em paz”

• “Eu sou um perdedor e um peso para os outros”

• “Eu preferia estar morto”


Diante dessa situação, a primeira coisa a se fazer é procurar a ajuda de um profissional de saúde. Além disso, psicólogos e psiquiatras geralmente são responsáveis ​​por essa parte do trabalho, então peça ajuda a alguém que conheça o assunto.


Quando procurar ajuda profissional?

Procure ajuda caso você:

  • Não sente mais vontade de conviver com a família ou amigos, isolando-se das pessoas e de possíveis atividades.

  • Sente-se desanimado com frequência.

  • Sente-se irritado, apático e receoso constantemente.

  • Apresenta distúrbios do sono ou dificuldades para se alimentar.

  • Vivencia solidão, desesperança e impotência.

  • Imagina como o mundo seria se você não tivesse nascido.

  • Não vê a necessidade de executar tarefas diárias ou de honrar compromissos, como costumava fazer.

  • Não consegue enxergar a saída para seus problemas nem um futuro onde se sinta melhor.

  • Tem dificuldade para estabelecer laços de amizade com as pessoas.

  • Apresenta humor instável com mudanças frequentes.

  • É incapaz de fazer planos para o futuro por não se achar capaz ou merecedor.

  • Sente-se inferior aos demais.

  • Se culpa por acontecimentos passado.

  • É incapaz de gostar de sua personalidade, enxergar suas qualidades e amar a si mesmo.

Quando não sabemos lidar com as adversidades de forma saudável, permitimos que as emoções negativas nos dominem. Portanto, quando coisas inesperadas acontecem em nossas vidas, devemos dar às nossas emoções a atenção que elas merecem.


Prevenção ao suicídio: buscando ajuda


Se você vir alguém mostrando sinais de contemplação de suicídio, certifique-se de incentivá-lo a procurar ajuda especializada de um psicólogo registrado em um conselho regional de psicologia. Em casos de risco imediato, é importante não deixar a pessoa sozinha e entrar em contato com os serviços de emergência. Consulte os seguintes locais para obter ajuda:


• CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde);

• UPA 24H, SAMU 192, Pronto Socorro; Hospitais;

• Centro de Valorização da Vida (CVV) – 188 (ligação gratuita).


Qual a importância do tratamento psicológico?


O Setembro Amarelo também é uma naturalização indireta da psicoterapia. Felizmente, mais e mais pessoas estão dispostas a procurar ajuda profissional, seja fisicamente ou pela Internet. Nesse sentido, plataformas como a Lapidando Mentes vêm utilizando a tecnologia para tornar o tratamento cada vez mais fácil.


Hoje, a terapia online pode ser realizada a qualquer hora, em qualquer lugar, desde que você tenha um smartphone e um bom sinal de Wi-Fi. Isso torna mais fácil a ajuda chegar a cidades menores, pessoas que estão socialmente isoladas em outros países ou que por algum motivo não podem se locomover.


Os psicólogos podem ajudar uma pessoa a lidar com problemas que ela quer desesperadamente evitar. O suicídio é o último passo de um longo período de sofrimento silencioso. Há muita coisa acontecendo dentro das pessoas que cometem suicídio.


Embora as conversas com familiares e amigos também sejam importantes para o nosso bem-estar, alguns problemas só podem ser resolvidos com sensibilidade, escuta profissional e conhecimento dos profissionais.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page